Direitos Humanos na Pauta Sindical

.Artigo

Por Claudio Vereza

”  Hoje, também nos sindicatos, a temática

dos direitos humanos ganha espaço,

referenciando debates e reflexões,

inclusive com o objetivo de formar.”

A luta de milhares de trabalhadores e trabalhadoras, das mais diversas categorias, pelo cumprimento, garantia e conquista de direitos se reafirma e agrega, de maneira sensível, elementos novos e necessários à manutenção da vida humana. Hoje, também nos sindicatos, a temática dos direitos humanos ganha espaço, referenciando debates e reflexões, inclusive com o objetivo de formar. E é a partir de uma visão de vida, em toda sua diversidade e inestimável valor, que os direitos humanos, em sua universalidade, indivisibilidade e interdependência são evocados por todas e todos como parte essencial da condição humana. E assim, ganha corações, mentes e vozes de trabalhadores e trabalhadoras por todo o país.

Há alguns anos, imaginar iniciativas como a produção de jornal específico sobre questões de gênero e direitos da pessoa com deficiência – partidas de um sindicato – era quase um delírio. O que dizer então da formação de grupo sindical para discutir diversidade sexual e defender a educação em direitos humanos nas escolas? A aproximação dos coletivos sindicais aos conselhos de direitos humanos revela uma fina sintonia, um diálogo, que podemos considerar, mesmo que velado, histórico com causas inerentes à massa de excluídos. Trata-se de uma identificação inata à condição do sujeito inserido numa estrutura que cria, recria e alimenta os mais variados tipos de violências e violações de direitos.

O despertar para essas questões, em boa parte, se deve à numerosa e profícua realização de debates regionais, com desdobramentos em encontros nacionais como as conferências. Essa ampliação da participação em discussões que objetivam promover o protagonismo de cidadãs e cidadãos, constitucionalmente expressa, tem se efetivado com o apoio do poder público, e ensejada, sobretudo, pela gestão petista.

O Partido dos Trabalhadores, fundado em 1980, emergiu das primeiras movimentações trabalhistas em indústrias e tem como berço o ABC paulista. Junto com a luta política, o PT assumiu também as lutas populares por terra, moradia, educação, saúde e tantas outras. O partido tornou-se um dos maiores, melhor articulado e mais importante instrumento da luta de esquerda na América Latina. A permanente interlocução com essas diversas e ricas realidades presentes na matriz populacional brasileira assume capilaridade e alcança as entidades de classe, que além das lutas já estabelecidas por questões salariais, condições de trabalho, previdência e saúde do trabalhador, agora também incorporam valores que elevam a vida e valores humanos, em toda a sua complexidade e pluralidade.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s