A eleição vista do lado de cá (da França)

Ilustração - revistas: Les Inrockuptibles ,Le Monde, The Economist

Uma visão para além das fronteiras territoriais. Na mensagem abaixo saiba como nosso país tem sido avaliado pela imprensa francesa, a partir do relato de uma brasileira.   

 

Mensagem

Eu me senti na obrigação de me pronunciar diante das barbaridades que tenho acompanhado nestas eleições. Sou brasileira cursando um mestrado na França, portanto tenho acompanhado, infelizmente de longe, essas eleições e vejo nas redes sociais declarações absurdas de apoio à direita reacionária brasileira.

Comecei então a fazer um paralelo com o que posso acompanhar daqui da França sobre o Brasil, governo Lula e as eleições. Aqui na França, o Brasil é ‘O’ país revolucionário que colocou Lula no poder e conseguiu mudar sua posição internacional, todas as revistas e jornais comentam com muito respeito e admiração o crescimento do Brasil, coloquei em anexo 3 imagens.

A primeira, a revista Les Inrockuptibles (trocadilho de incorruptível com rock) cuja capa da semana de 15-21 de setembro é a foto de Lula na camisa de uma mulher e a manchete “Brasil – o país onde a esquerda venceu”, no sumário a reportagem está marcada como “Viva Lula, o Mandela do Brasil, um modelo a seguir?” e a reportagem explica que ele tem mais de 80% de aprovação, fala da sucessão, sobre a época de Lula sindicalista metalúrgico, de Dilma, da redução significativa da pobreza e do boom diplomático durante o seu governo e afirmam “ele soube evitar o populismo (as vezes ditatorial), que é comum à esquerda que chega ao poder e soube fazer ainda melhor, soube ser ao mesmo tempo economicamente eficaz, diminuir a desigualdade social e ser democraticamente impecável. Ele resolveu uma equação quase impossível de ser esquerda no poder […] Lula FEZ e qual governante tem um balanço como esse nos últimos 10 anos?

Na França, na Europa, sonhamos com isso” A segunda imagem é a capa da revista “Le Monde” que é uma revista mensal do famoso jornal. Essa é uma edição especial, fora de série, de 100 páginas só sobre o Brasil onde a capa diz “Brasil um gigante se impõe”. A revista começa com um apanhado de citações de discursos de Lula, tece comentários sobre os candidatos Serra (o oponente de sempre), Marina (a antiga pupila) e Dilma (a designada para herdar), fala também sobre “Lula a consagração de um homem do povo” onde eles afirmam que “a ascensão do presidente acompanhou a do Brasil”.

São citados também o ficha limpa como ‘projeto anti-corrupção’; o pré-Sal (o ouro preto) que é o ‘passaporte para o futuro’ dando uma ênfase às ações de Lula pra que o pré-sal, bem como a Petrobrás, permaneçam estatais; os programas sociais como o “Bolsa Família”; os Sem-Terra e alguns aspectos geográficos e culturais da nossa sociedade. A 3a imagem é a capa do “The Economist” uma das maiores e mais respeitadas revistas do mundo, que tem na capa o Cristo Redentor decolando e sua manchete é “O Brasil decola”, ele não poupa elogios ao governo Lula, afirma que o Brasil vive nesse momento uma ‘época de ouro da economia’.

Há ainda, um comparativo entre os 8 anos de governo Lula e FHC, que expõe vários dados que demonstram o crescimento inegável da economia brasileira, e termina da seguinte forma “MERCADO INTERNACIONAL: FHC- Brasil sem crédito X LULA – Brasil reconhecido como grande investimento”. Além destas revistas, muitas outras reportagens sobre nosso país e sobre a importância desta sucessão presidencial, têm sido dilvulgadas, o Brasil é o centro das atenções e existe um anseio por parte dos franceses de que Dilma (a eleita de Lula, segundo eles) não ganhe.

O jornal “Le Monde”, por exemplo, na segunda feira 04/10 fez uma reportagem sobre as eleições onde dizia que “o Brasil não quis dar um cheque em branco a Dilma” e continuava fazendo um apanhado geral das eleições e dando os créditos do 2o turno ao crescimento de Marina (‘La Verte’ que significa ‘a verde’); Serra apesar de ser o opositor de Dilma no segundo turno quase não foi citado é impressionante a sua insignificância política internacional, as pessoas se espantam ao saber que na verdade o segundo turno não é entre Dilma e ‘La Verte’. A guinada que o Brasil deu nesses 8 anos é reconhecida, admirada e quase que idolatrada fora do país, Lula é reconhecido como o mentor e executor desta mudança.

Não é possível que os franceses tenham temor de que o Brasil volte às mãos da direita reacionária e retroceda e nós brasileiros deixemos isso acontecer de mãos beijadas, temos que ir à LUTA, ir às ruas, fazer campanha, circular informações, gerar debates e nos movimentarmos pra que no dia 31 a vitória seja da ‘esquerda que venceu e fez o Brasil gigante se impor’.

Camilla Barros

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s